BLOG_109

Você precisa ser aceito e querido por todos? Necessita ter alguém ao seu lado, como parceiro (a), seja a pessoa quem for? Tem dificuldade de dizer não? Vamos descobrir? Faça o teste, mas seja bem sincero com você. É só responder ao questionário, assinalando as alternativas que condizem com seu comportamento e sentimentos. Identifique o seu grau de codependência afetiva.  Para conferir o resultado veja o quadro abaixo do questionário.

Assinale as características que têm tudo a ver com você:
01.(   )  Você sente que precisa fazer de tudo para parecer bom
02.(   )  Não sabe dizer não
03.(   ) Está sempre tentando agradar a todos
04.(   ) Sente-se vítima e muito injustiçado(a)
05.(   ) Engole todos sapos possíveis e imagináveis
06.(   ) Em geral, para não comprometer sua imagem de boa pessoa, não demonstra o que sente, nem fala o que pensa (prefere não discutir e se calar sempre)
07.(   ) No lugar de ser você mesmo, desenvolveu um personagem para dizer sempre o quer o outro quer ouvir
08.(   ) Você gostaria muito de ser mais humilde e até se coloca como, mas no fundo, é uma maneira de ser aceito(a), porque tem outros pensamentos sobre as pessoas e você mesmo(a)
09.(   ) Sente-se mal quando ouve elogios porque não gosta de se expor
10.(   ) Quer se desenvolver e crescer na empresa, nas relações, mas prefere fazer isso sem que as pessoas vejam, sem visibilidade
11.(   ) Às vezes prefere não aceitar a realidade e se isola, fingindo que as coisas não são como se apresentam
12.(   ) Finge ser ingênuo(a) para  sobreviver
13.(   ) Vive um mundo próprio, sem se ater ao que acontece ao redor e, por isso, acaba por medir e julgar fatos e experiências com base em um mundo particular
14.(   ) Às vezes prefere ter comportamentos mais infantis para se livrar da dura realidade

 

RESULTADO

Orientações:
A codependência afetiva é uma prisão. A pessoa não sabe, de fato, quem ela é. Age e fala aquilo que gostariam que ele(a) fizesse ou dissesse. A falta de personalidade própria, o medo de ficar sozinho(a), da crítica ou do reconhecimento são características que empobrecem o estar e viver neste mundo. Mas nunca é tarde para resgatar o “eu” e viver melhor, colocando-se nas ações e nas relações de maneira a deixar a marca pessoal, contribuindo de uma forma autêntica por uma sociedade melhor. Obter a plena aceitação do outro é ilusória. Não podemos agradar e recitar a cartilha dos outros. Temos de ter a nossa cartilha que, claro, respeite as demais opiniões, mas nos coloque de forma clara – e feliz – na vida do outro, pelas qualidades e limites que temos. O codependente emocional acaba sendo uma pessoa falsa e vazia. Duro ouvir isso, mas é a verdade. E mais: muitas pessoas são assim, porque a vida com as famílias de origem não foi fácil, exigiu defesas que acabaram por se reproduzir nas relações pessoais, sociais e profissionais.

Pense nisso!
Se você é um codependente assumido, já deu um grande passo para  se transformar. Como? É só nos procurar que podemos ajudá-lo(a):
1.Descobrir a origem da codependência
2.Criar mecanismos para desconstrui-la
3.Resgatar quem você é, de fato
4.Colocar-se nas suas relações de uma forma autêntica: a sua forma de ser, que te faz bem, leve e solto(a)!

Aproveite e leia estes dois artigos sobre o tema, para inspirá-lo (a).
Depois, ligue para nós e agende uma conversa: (11) 5084-4749 ou 99239-1912

http://familiacomvida.com.br/index.php/codependencia-p1/
http://familiacomvida.com.br/index.php/codependencia-p2/

Sebastião Souza
Psicoterapeuta de casais e famílias

Teste para saber se você é um codependente afetivo!
WhatsApp Chat
Enviar pelo WhatsApp