Que me ame bastante, para que possa ser o que sou.

Quero uma família saudável, feliz e harmônica, mas que não coloque os conflitos embaixo do tapete. Se possível, que considere os conflitos como inerentes aos processos de desenvolvimento e evolução do ser humano.

Proteção

Ao me proteger, não me sufoque.

Se me sufocarem, passarei a viver com um “zumbi-ambulante”, sem desejo e sem força de vida.

Expectativas

As expectativas e sonhos que tenham com relação ao meu sucesso, não obscureça seu olhar enxergando somente os meus fracassos.

Se por ventura, as semelhanças e diferenças não atenderem o que desejavam para minha vida, que isso, não se torne um ponto de desavença.

Rejeição e diferença

Se por acaso, suas crenças e mitos não convergirem para aquilo que esperavam da minha postura no mundo, que não me rejeite.

Quando eu me sentir triste, derrotado, fracassado ou rejeitado, procure me acolher; são dos seus braços que virão as forças para meu renascimento.

Esse é só um modo de ser.

Por favor, quando observarem que sou diferente, não me trate com desigual. Recebo isso, com um ato de violência.

Se alguma dia eu acordar mau humorado, não me condenem, isso é passageiro, todos temos dias péssimos.

Cuidados, lealdade e amor

Eu quero uma família que saiba me cuidar, mas sempre que possível, me perguntem, se esse cuidado está fazendo sentido para meus propósitos de vida.

E que, o amor incomensurável que sentem por mim, não distorça a realidade do mundo lá fora, para que depois, eu não venha descobrir a verdade, e me sinta traído.

Se criaram ou imaginaram projetos pessoais e profissionais, para o meu ser, a partir dos seus sonhos, que esses, não neutralizem os meus desejos individuais.

Que essa família, acredite na “semente” do amor, lealdade, carinho e afeto, que plantaram quando da minha fecundação.

A semente que plantamos, é o resultado do fruto que colhemos.

Problemas sempre existirão

E, se fui adotado, que a minha adoção, não seja um segredo que possa trazer constrangimentos e conflitos para meus pais.

Se por caso, tenho pontos de vista diferentes, não os receba, como deslealdade e ingratidão; é um jeito, de tentar ver o mundo com os meus próprios olhos.

Enfim somos um “todo”, construídos por semelhanças, mas também por diferenças.

Como quero ser aceito

Tentem, aceitar-me e, se possível, amar e me acolher, pelo que sou. Caso contrário a minha individualidade, que foi construída com uma das mãos repleta de “amor”, será destruída pela outra, contaminada pela nossa simbiose familiar.

Compreendam, que o “verdadeiro amor” é legitimar uma pessoa a partir do seu próprio jeito de ser no mundo, e não daquilo que queremos ou desejamos para ela.

Como você deve ter percebido, sou igual a todo mundo e quero muito pouco. Você não acha?

Desafio

Que tal você escrever, aqui em baixo, qual seria a sua família ideal? Clique e compartilhe com seus amigos no Facebook.

Sebastião Souza
Psicoterapeuta de casais e famílias

Que família, você gostaria de ter?
Classificado como:        

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

YouTube
Siga-nos por Email